Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Depois de um ano, Poderoso Gabi já não é a principal estrela da festa

Jogador foi de herói à vilão e é cada vez mais questionado pela torcida

Não há um astro maior no Flamengo nos últimos anos do que Gabigol. Vestindo a camisa 10 que já foi de Zico, o sucesso do jogador foi colocado à prova na última terça-feira (29/8), em sua própria festa de aniversário, e nada impactou mais o evento que o próprio torcedor rubro-negro, dizendo que não precisa mais daquele que lhe rendeu tantas glórias.

Entre frases, cânticos, pancadaria e tiros de balas de borracha em frente ao Lamartine, famosa casa de eventos do Rio de Janeiro, o jogador rubro-negro comemorava os seus 27 anos sem muitos de seus companheiros. Não há como dizer quem estava lá dentro, porém, é fácil dizer: as coisas mudaram muito para Gabigol em 2023.

Rubro-negro, cor de festa

Se as coisas estão ruins neste ano, em agosto de 2022 Gabigol vivia um “romance” com a torcida do Flamengo, refletida na festa de aniversário do jogador. O código de vestimenta já mostrava o bom momento, onde homens compareceram de preto e mulheres de vermelho, as cores da equipe carioca. 

Isso se deu para comemorar o feito histórico conquistado um dia antes: o Flamengo goleou o Vélez Sarsfield (ARG), na Argentina, e ficou próximo da final da Libertadores. Isso se refletia também no melhor relacionamento entre a equipe. 

Inclusive, alguns dos jogadores que preferiram não comparecer na festa deste ano, foram clicados sorrindo e aproveitando a confraternização no ano passado. O momento era tão bom que até David Luiz compareceu – o jogador teve problemas com Gabigol recentemente e foi um dos que optou por ficar em casa dessa vez -.

Acabou o amor?

Dois meses depois da festa de aniversário, Gabigol fez o gol do terceiro título da Libertadores do Flamengo. Ele não imaginava que, depois dessa glória, as coisas só iriam desmoronar. 

Com o maior faturamento do Brasil, superando a casa do bilhão, o Flamengo investe R$ 1,6 milhões mensais em Gabigol e mais outros milhões em grandes craques rubro-negros que fazem o time ser o mais estrelado da América do Sul. 

A responsabilidade dessa fortuna é imposta pelo torcedor: ganhar todos os títulos possíveis. Porém, o Flamengo ainda não ganhou nenhum este ano e isso desencadeou uma indignação coletiva que tem só aumentado.

Os protestos ficaram ainda mais marcantes por conta de uma situação alheia ao campo. Dentre as várias polêmicas que marcaram o Flamengo nos bastidores neste ano, infelizmente para Gabigol ele é o centro da maioria. 

Entre vídeos de discussões com torcedores e até dirigentes, o jogador vive a pior fase na carreira, com a pior média de gols dele desde que chegou no clube e, para piorar, ainda é o atacante mais ineficiente do Campeonato Brasileiro, de acordo com dados divulgados pelo GE.com. 

Amigos e negócios

Para comemorar os 27 anos, Gabigol voltou à mesma casa de eventos de 2022, chamou muitos dos que estavam presentes um ano atrás, mas nada foi igual. Nomeada de O Poderoso Gabi, em homenagem ao clássico filme O Poderoso Chefão, a festa acabou desbancando a imagem de Don Corleone que o astro tinha no Flamengo.

Dezenas de torcedores flamenguistas, debaixo de chuva, foram protestar em frente ao evento. A indignação era tanta que muitos passaram dos limites: isso se refletiu em um retrovisor quebrado no carro que levava Pulgar e na indignação com Gérson, que foi chamado para porrada logo na chegada.

Se lá dentro não dá para saber o ritmo da festa, lá fora o que tocava era tiro, porrada e bomba. As balas de borracha da PM e as pancadas no portão de entrada de quem tentava invadir o local, porém, pode ter ganho as manchetes, mas não fez o craque mudar o embalo de sua festa, que contou até com lançamento de um novo single, o segundo da carreira trapper de Gabigol.

Daqui para frente, o Flamengo irá disputar a final da Copa do Brasil, sua melhor chance de ganhar um título este ano e uma frase célebre de O Poderoso Chefão III pode resumir o futuro rubro-negro: “Todo o poder do mundo não pode mudar o destino”.