Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Entenda o caso de agressão de estudante de medicina contra Victor Meyniel

O ator Victor Meyniel foi agredido na noite de sábado (2/9), na portaria de um prédio residencial no Rio

O caso de agressão sofrido pelo ator Victor Meyniel, no último sábado (2/9), na portaria de um prédio residencial em Copacabana, no Rio de Janeiro, segue ganhando novos capítulos e surpreendendo o público. Confira abaixo tudo o que se sabe sobre o caso e o que falta esclarecer. 

Câmeras de segurança do prédio registraram o momento em que o influenciador digital é espancado por Yuri de Moura Alexandre.  Nas imagens, Victor aparece no chão enquanto o agressor lhe desfere inúmeros socos, enquanto o porteiro do condomínio assiste ao crime sem esboçar nenhuma tentativa de impedir ou acionar o socorro para a vítima. 

Yuri, que a princípio se apresentou como médico militar, informações estas que foram desmentidas pela polícia, foi preso em flagrante pouco depois de cometer o crime. A prisão foi mantida e convertida para preventiva, durante a tarde de segunda-feira (4/9), em audiência de custódia. 

noticia%25242y%252410%2524AwLWPcniuSRhBhmyGmF7NeP0wyONu7iAayQaOUgNF7Bd0W135wksy

O ator e o agressor já se conheciam?

Em entrevista concedida ao RJTV na última segunda-feira (4/9), Victor contou que conheceu Yuri na casa noturna Fosfobox, em Copacabana, naquela noite. De lá, os dois seguiram para o apartamento de Yuri, que fica localizado próximo a boate. 

Victor relatou que tudo ocorria bem até a chegada de uma amiga de Yuri no apartamento. 

“Parece que virou uma chave, me botou para fora, me empurrou. E aí nisso que ele me empurrou, como eu estava sem sapato, porque eu tirei para ficar no sofá, eu estava no chão, ele me empurrou, foi e tacou o sapato [em mim]”, contou.

Em seguida, o ator afirma que ele e Yuri desceram, separadamente, e se encontraram na portaria, onde começaram a discutir antes das agressões.

Prisão do agressor

Logo após espancar o ator e deixá-lo ferido no chão da portaria do prédio, Yuri saiu para malhar e foi preso em flagrante ao voltar da academia. 

“Ele já chegou dizendo: ‘Não toca em mim! Eu sou militar, sou médico militar! E bati mesmo. Assumo que bati. Qual é o problema?’”, contou a delegada Débora Rodrigues, titular da 12ª DP.

Porteiro autuado

Vídeos das câmeras de segurança mostram que todo o crime foi presenciado pelo porteiro do condomínio, Gilmar José Agostini, que mesmo vendo o ator sendo espancado permaneceu sentado, olhando, sem esboçar nem uma palavra ou tentativa de socorrer a vítima. 

Somente após Yuri deixar Victor ferido no chão da portaria, o porteiro se levantou e puxou o ator pelo braço, o arrastando, para que não impedisse a passagem de entrada e saída do prédio. 

O ator relatou que teve ajuda apenas de um morador do prédio e sem seguida ele mesmo acionou a polícia. 

Devido a omissão de socorro, o porteiro foi autuado. “Ele viu tudo e não fez nada. Ele não precisava se meter na briga, claro, pela integridade física dele, mas ele tinha o dever de pedir socorro”, disse a delegada.

Gilmar disse que “após alguns minutos resolveu prestar socorro a Victor”, interfonando ao síndico, que chamou a PM.

Além da omissão de socorro, a delegada afirma que com a chegada da polícia no local, Gilmar a tratou mal e não demonstrou nenhum interesse em ajudar na investigação.

“Ao chegarmos ao prédio, ele já foi nos atendendo muito mal, falando que não viu nada, que não sabia de nada e que não ia se meter. Ele interfonou para o síndico, dizendo que ‘uma mulher estava lá fora’, mas não era nenhuma mulher, eram duas autoridades devidamente identificadas’”, contou

Yuri vai responder por quais crimes?

O agressor foi autuado por lesão corporal, injúria por homofobia e falsidade ideológica. Ele responderá por falsidade ideológica por ter se apresentado à polícia como médico militar, o que posteriormente foi desmentido pela polícia. Ele é apenas um estudante de medicina.



Passagem pela polícia

Segundo os investigadores, o estudante possui passagem pela polícia por crime de injúria.

Versão da amiga do agressor

O portal LeoDias teve acesso exclusivo ao depoimento de Karina Carvalho, mulher que mora no mesmo apartamento de Yuri de Moura Alexandre, homem preso por agredir Victor Meyniel. A versão relatada pela médica contradiz a suposta homofobia de Yuri, além de relatar um comportamento agressivo por parte do ator.

Karina deixou claro que não possui um relacionamento amoroso com Yuri Alexandre e apenas divide o apartamento com o homem, a quem ela define como homossexual, sendo testemunha de diversos relacionamentos do rapaz com outros homens. 

Segundo o documento ao qual o portal teve acesso, Karina estaria prestando plantão médico na unidade de saúde onde trabalha enquanto Yuri Alexandre estaria passando a madrugada de sábado (2/9) ao lado do ator. A médica relata que o amigo teria tentando entrar em contato por ligação de vídeo por volta das 5h da manhã, mas não pôde atender. 

Com isso, Yuri alertou que levou Victor Meyniel para seu apartamento e que os dois estavam tomando vinho juntos. Por volta das 7h30, Karina chegou à residência, localizada na Zona Sul do Rio de Janeiro, e viu os dois juntos no sofá. Foi a partir deste momento que o comportamento inadequado de Meyniel teria se iniciado.