Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Filho e primas de Gal fazem acordo para criar fundação segundo vontade da cantora

Artista morreu em novembro de 2022

O filho de Gal Costa, Gabriel Burgos Costa, fez um acordo judicial com as primas da cantora, Verônica e Priscila Silva, garantindo que vai criar a Fundação Gal Costa de Incentivo à Música e Cultura. O desejo da artista estava em seu testamento escrito desde 1997 e revogado em 2019. As informações são da Folha de São Paulo.

Em março, as primas de Gal acionaram a Justiça de São Paulo para acusar a viúva da cantora, Wilma Petrillo, de tê-la coagido a invalidar o documento. No começo deste mês de abril um acordo foi firmado. Nele, a defesa das parentes da cantora solicitaram o arquivamento da ação contra a viúva da artista.

De acordo com o documento, a fundação sem fins lucrativos “teria como objeto a formação de músicos e outros artistas ligados à área, promovendo festivais, concursos, concedendo bolsas de estudos de músicas para pessoas carentes dentre diversas outras finalidades de cunho exclusivamente filantrópico”. Verônica e Priscilla e outras três primas de Gal seriam as gerentes do projeto.

Gabriel alega no acordo que vai criar a fundação ao fim do inventário, que decidirá os destinatários da herança da cantora, que segue incerta diante da briga judicial entre ele e Wilma.

 Recursos para criar a fundação

Segundo o documento, o dinheiro destinado a fundar o desejo da artista deverá vir de uma parte da herança do filho de Gal, juntamente com parcerias públicas ou privadas que ainda não foram definidas.

Quando as primas da cantora entraram com a ação, a advogada da viúva da artista, Vanessa Bispo, declarou as alegações como absurdas: “Segundo informações da minha cliente, Gal sequer convivia com essas primas. Gal anulou o testamento porque quis. Ela era uma mulher forte, com opiniões próprias, sempre fez o que quis. Nunca foi uma mulher fraca para ser coagida por quem quer que seja. Uma acusação de coação é muito séria e precisa ser provada”.

Veja as fotos

Reprodução
Reprodução
Reprodução/ montagem
Reprodução/ montagem
Reprodução
Reprodução