Chrystian, da dupla com Ralf, morre aos 67 anos Hospital divulga causa da morte do cantor Chrystian
Chrystian, da dupla com Ralf, morre aos 67 anos Hospital divulga causa da morte do cantor Chrystian

Marcos Pasquim recorda estereótipo de galã sem camisa em novelas: “Meu corpo é trabalho”

A novela Kubanacan foi referência na carreira do artista

          O ator Marcos Pasquim fez sucesso nas novelas de comédia da TV Globo há alguns anos. Ele contou recentemente que se diverte com a fama que obteve por causa dos personagens galãs sem camisa e garantiu em entrevista à CARAS que só fazia o que estava no roteiro.

          “Vejo de maneira muito tranquila [o estereótipo do galã descamisado]. Fazia parte dos personagens, nunca liguei para isso. Sou ator e meu corpo é meu instrumento de trabalho. Ali ficava sem camisa, mas se precisasse engordar para interpretá-los, também faria”, afirmou o ator das novelas Kubanacan, Morde e Assopra, Guerra e Paz, entre outras.

          Veja as fotos

          Marcos Pasquimfez sucesso em novelas de comédia da TV Globo
          Marcos Pasquimfez sucesso em novelas de comédia da TV Globo
          Marcos Pasquim em Kubanacan
          Marcos Pasquim em Kubanacan
          Marcos Pasquim
          Marcos Pasquim

          Atualmente o galã descamisado está focado em trabalhos para plataformas de streaming, como Globoplay e Netflix e brincou sobre os figurinos “elaborados” que precisava usar nas tramas para compor o personagem.

          “Os personagens estavam dentro do contexto, sempre muito ativos, com cenas de ação. Cabia o figurino com pouca roupa”, brincou Marcos que foi protagonista sensual em Kubanacan.

          Ele contou que ficava um tanto perdido quanto ao roteiro do folhetim, já que muitas reviravoltas aconteciam.

          “Essa novela teve muitos capítulos e com um ritmo acelerado, várias coisas aconteciam em uma semana, se você perdesse um capítulo, já não sabia mais o que estava acontecendo no capítulo seguinte, porque o personagem ia para muitos cenários. Então chegou um momento na novela que eu já não sabia mais onde eu estava, para onde eu ia, para onde eu voltava”, relembrou Pasquim.

          Em um certo momento, nessa novela o ator teve o desafio de interpretar três personagens, cada um com sua personalidade, até que descobriu que um deles era parte de um plano de viagem no tempo. Essa decisão do autor deixou o artista ainda mais perdido.

          “Foi bastante complicado. Tinha que prestar muita atenção para não me perder. Depois que descobri que o personagem vinha do futuro, aí ferrou! Já não sabia mais nem quem eu era (risos). Mas foi muito divertido”, continuou Marcos a recordar o sucesso em Kubanacan.

          As obras Quinto dos Infernos e Kubanacan estão no catálogo do Globoplay e Pasquim comentou que gosta das reprises que a plataforma disponibilizou.

          “Eu acho maravilhoso [o resgate de tramas antigas]! É uma nostalgia saudável, uma viagem ao túnel do tempo. De lá para cá, tantas coisas mudaram, tantas coisas aconteceram. Mas é uma delícia visitar estes lugares. Tem gente que se critica, que não gosta de assistir. Eu, quando tenho tempo, vejo de boa”, declarou o galã.