Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Samara Felippo registra B.O e quer investigação no caso de racismo contra sua filha

Filha da atriz teve o caderno rasgado e rasurado com frases racistas por alunas do colégio

Após não ver medidas mais severas serem feitas, Samara Felippo decidiu acionar a polícia e registrou um boletim de ocorrência virtual neste domingo (28/4), para que o caso de racismo contra Alicia, sua filha mais velha, seja investigado. O caso será encaminhado ao 14º Distrito Policial de Pinheiros, em São Paulo, região do colégio Vera Cruz, onde o crime aconteceu.

A atriz disse que a suspensão não é suficiente e que esperava que elas fossem, no mínimo, expulsas. “Não estou falando em isolar ninguém, linchar ninguém, sou contra tudo isso, mas, num lugar onde minha filha gostaria de continuar, já não dá mais”, afirmou a atriz para o UOL Splash.

Mais cedo, o colégio Vera Cruz informou que as responsáveis pela agressão foram suspensas por tempo indeterminado, mas que não descarta tomar outras providências.

Samara também disse que esta não é a primeira vez que Alicia foi vítima de racismo. “Essas agressões eram sutis, coisa de dia a dia, acusação de alguma coisa, fofoca com o nome dela em outra, exclusão de um grupo, brincadeirinhas de ela chegar em um grupo e elas saírem correndo e ela ficar sozinha, são recorrentes essas violências que crianças pretas sofrem todos os dias, até que o racismo se materializou dessa forma violenta na frente delas”, afirmou.

A atriz também revelou que vai acionar seus advogados para entrar com uma ação por danos morais contra os pais das agressoras. Samara relatou o caso de racismo sofrido pela sua filha na última segunda-feira (22/4) após ela relatar que teve o caderno rasgado e rasurado com frases racistas por suas colegas.