Preso, pastor fazia rituais de sexo e engolia sêmen de fiel para curar gastrite Outro lar, novos vizinhos: como está a vida de Dado em casa separada de Wanessa Melody assume seu primeiro namoro. Saiba quem é o rapaz! Manoel Carlos revela por que nunca deu um papel de Helena para Lilia Cabral
Preso, pastor fazia rituais de sexo e engolia sêmen de fiel para curar gastrite Outro lar, novos vizinhos: como está a vida de Dado em casa separada de Wanessa Melody assume seu primeiro namoro. Saiba quem é o rapaz! Manoel Carlos revela por que nunca deu um papel de Helena para Lilia Cabral

Disforia de gênero: Especialista explica condição que Maya Massafera sofreu durante a transição

Segundo a profissional, a disforia de gênero sofrida por Maya Massafera, pode acontecer de diferentes formas e normalmente acontecem quando a pessoa sofre muito estresse ou discriminação

          Após meses longe das redes sociais, Maya Massafera surpreendeu os internautas na quinta-feira (10/5), ao surgir 25kg mais magra e com a aparência completamente transformada, após se submeter a inúmeros procedimentos de transição de gênero. De acordo com fontes do portal LeoDias, quando Maya começou a transição ela passou por uma disforia, um mal-estar psíquico, que pode causar tristeza, depressão, entre outros. Para entender melhor sobre o assunto, nossa reportagem conversou com a psicóloga e terapeuta cognitiva comportamental, Rosângela Casseano.

          “A disforia é um termo utilizado na área da psicologia para descrever um profundo sentimento de desconforto ou insatisfação em relação à própria identidade de gênero. É importante ressaltar que a disforia de gênero não é um transtorno mental em si, mas sim um aspecto emocional e psicológico que pode ser vivenciado por pessoas transgênero durante o processo de transição”, explicou a especialista. 

          Veja as fotos

          Maya Mazzafera. Reprodução.
          Maya Mazzafera. Reprodução.
          Maya Mazzafera. Reprodução.
          Maya Mazzafera. Reprodução.
          Maya Mazzafera. Reprodução.
          Maya Mazzafera. Reprodução.
          Maya Mazzafera
          Maya MazzaferaMaya Mazzafera
          Reprodução
          Reprodução

          Segundo a profissional, a disforia de gênero pode acontecer de diferentes formas e normalmente acontecem quando a pessoa sofre muito estresse ou discriminação. 

          “A disforia de gênero pode se manifestar de diferentes formas e apresentar sintomas variados. Alguns dos sintomas mais comuns incluem ansiedade, depressão, desesperança, desconexão com o próprio corpo, insatisfação com as características sexuais primárias e secundárias, além de sentimentos intensos de inadequação e desconforto social. Acontece geralmente quando a pessoa sofre muito stresse e discriminação relacionados à sua identidade de gênero, bem como ao fato de que muitas vezes essas pessoas são impedidas de expressar sua verdadeira identidade de gênero”, contou a piscicologa Rosângela Casseano.

          De acordo com a terapeuta, casos de disforia de gênero podem ser tratados de diferentes formas, o objetivo é promover o bem-estar emocional e psicológico do paciente.

          “O tratamento da disforia de gênero pode envolver uma abordagem multidisciplinar, que pode incluir psicoterapia, suporte psicológico, hormonioterapia e, em alguns casos, cirurgia de redesignação sexual. O objetivo principal do tratamento é promover o bem-estar emocional e psicológico da pessoa, auxiliando-a a encontrar sua identidade de gênero e viver de acordo com ela”, disse a especialista.

          “A disforia de gênero pode ter um impacto significativo na rotina de uma pessoa. O desconforto e a insatisfação podem afetar a autoestima, os relacionamentos pessoais, a vida profissional e a saúde mental de forma geral. É fundamental que a pessoa tenha suporte emocional e profissional durante todo o processo de transição, a fim de lidar com as dificuldades e desafios que possam surgir”, continuou.

          Questionada se os 25kg perdidos pela youtuber podem estar relacionados a disforia, a psicóloga explicou que: “Quanto às questões relacionadas à alimentação, é importante ressaltar que a disforia de gênero não está diretamente relacionada a transtornos alimentares, como anorexia ou bulimia. No entanto, algumas pessoas podem recorrer a alterações no peso corporal como uma forma de lidar com a disforia, buscando se adequar a uma imagem corporal desejada e de forma mais rápida”.

          “Em resumo, a disforia de gênero é um aspecto complexo e individual que pode afetar a vida de uma pessoa de diversas maneiras. O suporte profissional adequado, aliado ao respeito e empatia, é fundamental para auxiliar as pessoas transgênero a viverem de forma autêntica e plena, respeitando sua identidade de gênero”, finalizou.