Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Familiares defendem mulher que levou corpo do tio ao banco: “Tem transtornos psiquiátricos”

Erika de Souza fez tratamento e tomava remédios para depressão, segundo o filho

Familiares de Erika de Souza Vieira Nunes a defendem e negam as suspeitas sobre ela. A mulher foi presa em flagrante por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver, após levar seu tio, Paulo Roberto Braga, o Tio Paulo, já morto, para sacar um empréstimo de R$ 17 mil em um banco no Rio de Janeiro.

Segundo reportagem do Fantástico exibida na noite deste domingo (21/4), Lucas Nunes do Santos, filho de Erika, diz que a mãe fez tratamento para curar transtornos psiquiátricos. “A minha mãe vem passando por momentos difíceis, ela tem acompanhamento psicológico. Esse remédio (que ela toma) causava alucinações”, afirmou.

A reportagem mostrou relatórios médicos de psiquiatras que atenderam Erika. Um deles, que a atendeu em 2022, pede internação psiquiátrica e diz que ela é dependente de sedativos e tem quadro de depressão, pensamentos suicidas e alucinações auditivas.

Lucas ainda afirmou que a mãe sempre cuidou bem dos seis filhos. “A minha mãe nunca precisou roubar, enganar ninguém para isso. Ela encaminhou os filhos para a vida, e encaminhou muito bem, nos ensinando o caminho dos estudos, o caminho do que é correto. A nossa mãe sempre foi nossa inspiração”, disse.

O delegado Fábio Souza, responsável pelo caso, discorda da inocência da suspeita. “Uma pessoa com problemas psiquiátricos, ela pode não entender que o tio está morto, mas certamente ela não iria entender que tinha que pegar o dinheiro. Uma pessoa não pode ter uma consciência seletiva”, afirmou.

A advogada da suspeita, Ana Carla de Souza Correa, argumenta que ela estava em estado de negação de que o tio estivesse morto, e por isso agiu normalmente, sem que ele respondesse. Os familiares também enviaram à Justiça um comprovante de que o empréstimo foi solicitado por Paulo Roberto no dia 25 de março.

Veja as fotos

Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo
Tags: