Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Luís Roberto revive narração de corrida da morte de Ayrton Senna: “Foi terrível”

Narrador relembrou momentos marcantes da carreira em entrevista ao Pedro Bial

        Durante participação no programa “Conversa com Bial”, nesta terça-feira (9/7), o jornalista e narrador Luís Roberto falou sobre momentos importantes da sua profissão. Ele relembrou o início da carreira, sua primeira Olimpíada na TV Globo, e também descreveu a experiência de narrar a corrida da morte de Ayrton Senna (1960-1994), quando atuava na Rádio Globo.

         

        Ao falar do Grande Prêmio de Ímola, na Itália, no qual, durante os treinos, morreu também o austríaco Roland Ratzenberger (1960-1994), um dia antes de Senna, Luís comentou sobre o clima que pairou entre todos presentes.”Aquele fim de semana mexeu muito com o emocional de todos nós. O acidente terrível do Rubinho Barrichello na sexta deixou muito claro para todo mundo que o nível de segurança estava muito abaixo da expectativa”, ressaltou.

         

        Veja as fotos

        Reprodução/Globo
        Reprodução/Globo
        Reprodução/Globo
        Reprodução/Globo
        Reprodução/Globo
        Reprodução/Globo

         

         

        Com semblante mais triste, o comunicador contou o sentimento de presenciar a morte de Ayrton Senna, um herói nacional, dar a notícia e continuar narrando como se fosse algo normal. “Não queremos narrar o acidente que tira a vida do maior ídolo do esporte do seu país naquele momento. Embora, os espíritos estivessem alertados… Continuei narrando a corrida e foi terrível. É muito tenso tudo aquilo”, disse.

         

        Luís Roberto está se preparando para participar de sua 6ª cobertura de jogos olímpicos. O narrador vai assumir a vaga de Galvão Bueno nas Olimpíadas deste ano, em Paris, e pela primeira vez vai liderar a transmissão da Cerimônia de Abertura, que acontece no próximo dia 26. No bate-papo com Bial, ele também recordou sua estreia na Globo, nos jogos de Sidney, em 2000. “Não ganhamos a medalha de ouro, mas, para mim, Sidney é inesquecível”, afirmou.