Ao vivo
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
Pai debocha de filha com paralisia e é acusado de maus-tratos: “Largar em orfanato” Ex-cunhada de Safadão acusa mãe do cantor de ameaça e ela rebate: “Tudo mentira”
portal Leo Dias 1 ano
vaidebet

Vasco negocia com patrocinadora do Palmeiras e São Januário deve ganhar novo nome

O Cruzmaltino está em fase final para assinar o contrato com a Crefisa, de Leila Pereira

A patrocinadora do Palmeiras está próxima de fechar parceria com um outro time. O Vasco está negociando a venda dos direitos de nome (naming right) de São Januário e o histórico estádio pode ganhar um novo nome.

O montante do contrato com a Crefisa, segundo o Lance!, gira em torno de R$ 300 milhões. Para se ter uma ideia, o valor é igual ao recebido pelo Corinthians em seu contrato atual – mas a Neo Química Arena tem capacidade duas vezes maior que São Januário -.

Novo São Januário

O estádio do Vasco é um dos mais tradicionais do Brasil e não é “padrão FIFA” como as arenas modernas, porém essa é uma realidade que o clube busca mudar em breve. A obra para uma nova arena está orçada em R$ 506 milhões e o clube busca arrecadar cerca de R$ 500 milhões pela lei do potencial construtivo.

A lei dispõe sobre um valor compatível com o que a Prefeitura está repassando ao Vasco, tornando a obra viável. A nova parceria com a Crefisa acaba sendo um “a mais” que entra no orçamento da reforma do estádio.

O dono da Crefisa e marido de Leila Pereira, Luiz Roberto Lamacchia, já havia demonstrado estar interessado em colocar o nome de sua empresa no estádio antes mesmo da eleição no Vasco, ocorrida no final do ano passado, na qual ele demonstrou seu apoio ao ex-jogador Pedrinho:

“Pedrinho, caso você seja eleito presidente do Vasco da Gama, eu tenho interesse em colocar o nome da Crefisa no naming rights do São Januário”, disse Lamacchia ao lado do ex-jogador, que veio a ser eleito presidente.

“Camisas negras que trago na memória”

A grande mudança no estádio será na arquibancada, projetada para que não tenha cadeiras, ou seja, o torcedor vai ficar de pé. O setor será popular, reservando a maior capacidade do estádio e também os ingressos mais baratos, sendo todo o desenho projetado em homenagem ao elenco que fez história no Vasco há 100 anos, os Camisas Negras.

Em 1923, os jogadores do time lutaram contra o racismo e o elitismo no futebol carioca, conquistando o primeiro título estadual da história do clube. Conhecido por ser pioneiro na inclusão de jogadores negros no futebol brasileiro, o Vasco ficou marcado como um clube das lutas sociais e os jogadores daquela época – que usavam camisas totalmente pretas – ganharam a alcunha de Camisas Negras.

 

Veja as fotos

Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução
Pedrinho já esteve ao lado de Luiz Lamacchia, dono da Crefisa
Pedrinho já esteve ao lado de Luiz Lamacchia, dono da Crefisa