Chrystian, da dupla com Ralf, morre aos 67 anos Hospital divulga causa da morte do cantor Chrystian
Chrystian, da dupla com Ralf, morre aos 67 anos Hospital divulga causa da morte do cantor Chrystian

Empresário acusado de fornecer drogas para família de Djidja se entrega à polícia

Ele era o último foragido procurado pela polícia que investiga a morte da ex-sinhazinha do Boi Garantido

          O empresário José Máximo Silva de Oliveira, acusado de fornecer a droga cetamina à família de Djidja Cardoso, se entregou à polícia neste sábado (8/6). Na investigação que investiga a morte da ex-sinhazinha do Boi Garantido, José Máximo era suspeito de fornecer a droga usada pelos familiares de Djidja para rituais.

          O empresário era o último foragido do caso Djidja. Ele se apresentou à delegacia com o advogado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em Manaus, por volta das 14h. Bruno Roberto, ex-namorado de Djidja, e o coach Hatus Silveira também estavam foragidos, mas foram presos nesta sexta-feira (7/6).

          Veja as fotos

          Empresário nega ser dono de clínica veterinária que fornecia cetamina à família de Djidja
          Empresário nega ser dono de clínica veterinária que fornecia cetamina à família de Djidja
          José Máximo tem envolvimento no caso de Djidja Cardoso
          José Máximo tem envolvimento no caso de Djidja Cardoso

          José Máximo é o dono de uma das clínicas veterinárias que fornecia a cetamina, um anestésico usado em animais e a principal substância usada pela família de Djidja em meio a rituais da seita da qual eles eram adeptos, a “Pai, Mãe, Vida”. A defesa, no entanto, alega que José não vendeu a droga para terceiros e nega também que ele seja o proprietário do estabelecimento.

          Ao cumprir o mandado de prisão na clínica nesta última semana, a polícia encontrou ampolas de cetamina, seringas, agulhas, além de computadores, celulares e documentos. Além de José, outros dois funcionários da mesma clínica foram presos esta semana.